Série | Showtime e sua abordagem nada convencional

showtime-logo1

A TV a cabo e os serviços de streaming online vem desenvolvendo um papel importante para as séries, com menos restrições por parte da Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos, hoje é quase corriqueiro cenas de sexo, violência, temas sem censuras como antes não era abordado, maneiras mais provocativas para poder atrair a atenção dos espectadores. Grandes nomes de emissoras que veem uma grande oportunidade de trabalhar esses temas são a HBO e Showtime e é sobre a segunda que o post irá centrar hoje.

Antes de se falar sobre as abordagens da Showtime, vem entender um pouco a origem desse canal, que foi ao ar pela primeira vez no ano de 1976 por um sistema local, se expandindo em 1978 para competir com a HBO. Nos anos 80 começou a se aventurar em séries, mas só nos anos 2000 sua abordagem tomou uma alavancada com temas que até então eram difíceis de ser falado em plena televisão.

São 4 temas a serem falados: Morte, Sexo, Problemas Psicológicos e Drogas.

Morte: Ao meu ver um tema mais complicado do que sexo é a morte, uma forma de tabu que ainda permeia os dias de hoje e que enquanto muita gente vai atrás de temas relacionados ao sexo o contrário acontece com a morte, fugindo do inevitável. O inusitado é como a Showtime quis levantar esse assunto, de forma descontraída e despretensiosa.

Dead Like Me (2003 – 2004/2 temporadas); A série se trata sobre Georgia que morre em seu primeiro dia no trabalho, após ser atingida por um assento sanitário e acaba virando uma ceifadora, sendo morta com assuntos não resolvidos, tendo como serviço tirar a alma das pessoas que morrem de acidentes, homicídios e suicídios. O interessante dessa série é como ela mostra as mortes, já podendo ver pela principal que foi atingida por uma privada, ainda encontrará casos de gente que morre ao escorregar e bater a cabeça ou até mesmo caindo um piano na sua cabeça. A morte mora ao lado e ocorre todo tempo é a premissa da série. Embora o tema é diferente, infelizmente caiu na mesmice em sua segunda temporada, mas ainda sim vale a pena assistir por ter conseguido falar da morte com um tom de comédia.

The Big C (2010 – 2013/4 temporadas); A trama gira em torno de Cathy, uma esposa e mãe que vive no subúrbio, até aí poderia falar que é Desperate Housewives, só tem um quê, Cathy é diagnosticada com câncer (Melanoma) e então decide reformular sua vida, enquanto sofre os altos e baixos do tratamento enfrentando a tudo com esperança e bom humor. Em muitos momentos a série brinca com o C, podendo ser Cathy ou Câncer e se morte já é um assunto complicado, câncer vem bem atrás, você começa a série já sabendo qual será seu final, como falado anteriormente no começo do post, a morte é inevitável, mas vemos aqui uma série não sobre a morte, mas sim a vida e como ela enfrenta. Claro que existirá momentos tristes, mas em geral a série tem aquele ar de humor negro, onde você irá se aventurar e torcer por Cathy e toda a vida que ela levará.

____ ____ ____

Sexo: Todo mundo sabe que sexo vende, vide música pop que aproveita do tema, e enquanto o cinema se vê mais resguardado tentando alcançar o público “família” é na TV que você irá conseguir sem meias palavras ver o assunto sendo falado e mostrado.

Californication (2007 – 2014/7 temporadas); A história é centrada em Hank Moody, um escritor extraordinário que além de ser pai tem muitos vícios, particularmente no que diz respeito ao sexo, nova-iorquino que foi viver em LA, o mesmo precedente de outro escritor “real”, conhecido pela sua vida desregrada, Charles Bukowski, inclusive a comparação entre os dois é feita em diversos episódios. A série te proporciona uma visão única, audaz e muito divertida, sobre a indisciplinada vida de Hank, tendo ainda por cima que assumir suas obrigações de pai de guarda compartilhada, quando na realidade parece estar concentrado mais em satisfazer seus vícios. O “quê” de Califonication é por mostrar não apenas sobre sexo, mas a forma que levar uma vida assim pode ser, com 7 temporadas você irá torcer para ele tomar um jeito na vida e vai acabar apenas encontrando um cara que é daquela forma e no final vai adorar ter assistido e acompanhado as loucuras em que ele entra do começo ao fim.

Secret Diary of a Call Girl (2007 – 2011/4 temporadas); A história baseada em fatos reais vem do livro Belle de Jour: Diary of a London Call Girl e também no blog da autora. Na trama Hannah Baxter, dividi sua vida entre mentir para as pessoas que ela é uma secretária executiva que faz turno noturno, enquanto ela na verdade é uma garota de programa de luxo sob o pseudônimo Belle. 

Eu poderia falar das várias facetas que essa série apresenta sobre esse mundo, mas talvez o que mais chama atenção por sua abordagem, é a forma natural, como ela explora os mais diferentes tipos de fetiches existentes no mundo. Sexo ainda é o maior tabu em qualquer sociedade, mesmo sendo o que move a mesma. As pessoas tem medo ou vergonha e até mesmo as duas coisas ao falarem sobre esse assunto. A Belle deixa claro o que gosta, o que não gosta, como seus clientes estão se sentindo, porque eles têm aquele determinado fetiche. Uma mistura de psicologia com sexualidade, sem termos técnicos ou linguagem baixa.

Master of Sex (2013 – atualmente/3 temporadas); Também baseada em fatos reais, e explorada a partir do livro Masters of Sex: The Life and Times of William Masters and Virginia Johnson, the Couple Who Taught America How to Love, de Thomas Maier (ufa, que nome enorme para um livro). A série conta a história do casal que fez o primeiro estudo aprofundado sobre comportamento sexual. Tentando entender a fundo a sexualidade do ser humano e a descoberta da fertilização in vitro, a série mostra os lados sujos da ciência atrás do progresso, envolvendo o tema tão presente na vida de todos e ainda tão controverso e polêmico.

Problemas Psicológicos: Por muitos anos os problemas psicológicos eram difíceis de ser compreendidos, foi através de muita pesquisa e estudo que os médicos conseguiram explicar um pouco o que acontece com a mente, muitas doenças psicológicas conhecidas atualmente são atribuídas ao estilo de vida, cultura e sociedade em que a pessoa vive. E através da Showtime algumas séries são abordadas com o tema, em especial duas, Dexter e sua psicopatia e United States of Tara com sua múltipla personalidade.

Dexter (2006 – 2013/ 8 temporadas); Um dos psicopatas mais queridos da TV, Dexter Morgan é um analista forense do Departamento de Polícia de Miami e tem uma vida dupla. Quando ele não está ajudando a divisão de homicídios a resolver assassinatos, ele passa seu tempo caçando e matando bandidos que deslizam através do sistema de justiça. O que poderia ser apenas uma série sobre psicopatia e suas mortes se torna um entendimento do que se passa na mente de quem sofre esse problema psicológico. A série foi se perdendo durante os anos e a mente de Dexter também passa por várias mudanças, compensa em assistir as 4 primeiras temporadas e se deliciar em sua mente, as outras 4 temporadas vale assistir para ver aonde a série irá se concluir.

United States of Tara (2009 – 2011/3 temporadas); Algumas doenças psicológicas são sempre abordadas mostrando seus diversos lados, mas United States of Tara trás uma pouco o transtorno dissociativo de identidade, originalmente denominado transtorno de múltiplas personalidades, conhecido popularmente como dupla personalidade, que é uma condição mental em que um único indivíduo demonstra características de duas ou mais personalidades ou identidades distintas, cada uma com sua maneira de perceber e interagir com o meio. O pressuposto é que ao menos duas personalidades podem rotineiramente tomar o controle do comportamento do indivíduo. O critério de diagnóstico também leva em consideração perdas de memória associadas, geralmente descritas como tempo perdido ou uma amnésia dissociativa aguda. Nessa série a personagem principal que sofre da doença tem 6 personalidades completamente distintas que tomam conta de seu corpo quando ela e a família menos esperam. Além de abordar esse tema, a série trás todo essa drama com um tom cômico e demonstra o dia a dia familiar de quem tenta levar um vida normal, apesar de tudo.

Drogas: Dos 4 temas é o mais “trabalhado”, não só em séries, como em filmes, mas a Showtime traz de forma revigorante, abusando do humor negro como em muitos de suas séries.

Weeds (2005 – 2012/8 temporadas); E se existisse uma série sobre o tráfico de drogas, mas de uma forma sem ser ação e sim comédia? É aí que entra Weeds, contando a história de Nancy Botwin, uma mãe suburbana que começa a vender maconha para continuar sustentando seu estilo de vida privilegiado após a morte do seu marido. Você ainda irá encontrar muitos problemas, sangue e até ação, mas a atenção na série é vista pela forma como é transmitido o tráfico na mão de uma mãe suburbana que aos poucos começa a aprender como sobreviver ao meio, enquanto tenta criar seus dois filhos e a gerenciar sua família.

Curiosidade: Em Orphan Black, uma das clones, Alison Hendrix, também uma mãe suburbana começa a vender drogas, bem a ideia de Weeds não? 😀

Nurse Jackie (2009 – 2015/7 temporadas); Uma mistura de drama e comédia. Se é fã de House com certeza irá adorar Nurse Jackie, suas semelhanças começam onde ambas têm como protagonista um profissional de saúde, viciados em remédio. Uma das enfermeiras mais atenciosas com os pacientes, lidando com a incompetência dos médicos à sua volta, mas seu problema mesmo é em sua vida amorosa onde gera situações inusitadas. Se Weeds é sobre o tráfico, aqui você encontra o vício, 7 temporadas de humor contagiante.

HBO e Showtime conseguem aproveitar muito bem tais temas, mas ao meu ver Showtime consegue de forma mais elaborada e nada convencional tratar sobre situações difíceis de forma mais real e com humor na maioria de suas séries.

E aí gostou? Conta para gente qual dessas séries você já assistiu.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários

Food do Dia | Receita de Starbucks espresso brownie de chocolate meio amargo

food do dia

Basta uma olhadinha rapida no meu Instagram e você verá que eu sou uma viciada em Starbucks e eu nem postos toda vez, que vou lá, mas não resisto, ao copinho estiloso.

Além das conhecidas bebidas, eles tem opções doces e salgadas no menu, e o meu preferido é o Brownie Expresso Meio Amargo, um dia aqui em casa resolvemos testar uma receita caseira dele, porque custa um absurdo, quadradinho sai atualmente por R$ 7,90 e quase nenhuma cidade desse país tem Starbucks ainda. E a receita abaixo serve + ou – 15 pedaços médios.

Relacionado: Smoothie e Frappuccino Caseiros

Tem dois jeitos de fazer a receita, a prática e a demorada.

Receita Prática

Ingredientes:

  • 1 pacote de Mistura para Petit Gâteau Fleischmann,
  • 1/2 xícara (chá) de leite gelado (120 ml),
  • 3 colheres (sopa) de margarina (60 g)
  • 1 ovo.
  • 2 colheres de chá de essência baunilha
  • 2 colheres de chá de café solúvel
  • 2 barras de chocolate meio amargo

Modo de Fazer:

Adicione ao conteúdo da pacote o ovo, a margarina derretida o café e a baunilha e misture bem.

Acrescente o leite gelado e misture a mão (sem bater) por 3 minutos.

Misture os pedaços de chocolate picados grosseiramente e misture.

Passe para uma forma retangular média untada (de preferência com papel manteiga).

Asse em forno pré-aquecido à 180 ºC, por 20 a 30 minutos. Para verificar se está pronto, espete um palito ou garfo, que deve sair limpo e seco.

Deixe os brownies esfriarem antes de cortar e depois leve por 1 hora no congelador/freezer.

Abaixo a receita completa (sem massa pronta).

Copycat-Starbucks-Double-Chocolate-Brownie-serve

Receita Completa

Ingredientes:

  • 1 1/3  xícara de farinha de trigo
  • 1 colher de chá de bicabornato de sódio
  • ½ colher de chá de sal
  • 12 colheres de sopa de margarina sem sal
  • 2 barras de chocolate meio amargo
  • 1 barra de chocolate ao leite ou 1 copo de cacau em pó (Chocolate do Padre)
  • 4 ovos
  • 2 xícaras de açúcar cristal
  • 2 colheres de chá de essência baunilha
  • 2 colheres de chá de café solúvel

Modo de Fazer:

Em uma tigela média misture a farinha, o bicarbonato e o sal. Deixe de lado.

Em uma panela pequena, derreta a margarina em fogo médio.

Adicione o chocolate ao leite picado, ou o chocolate em pó, retire a panela do fogo e mexa sempre, até derreter. Deixe de lado.

Em uma tigela grande, bata os ovos e o açúcar até formar uma espuma. Adicione a essência de baunilha e o café solúvel e a mistura de chocolate derretido com margarina, aos poucos. Isso vai ajudar a moderar os ovos.

Quando o chocolate estiver completamente incorporado, despeje a mistura de farinha de trigo, bicarbonato e sal. e mexa até misturar completamente, espere ficar morno.

Misture os pedaços picados grosseiramente de chocolate meio amargo e mexa.

Espalhe a massa uniformemente na bandeja já preparada. E asse por 25 a 30 minutos; teste com um garfo e veja se ele sai limpo (é o ponto).

Asse em forno pré-aquecido à 180 ºC, por 20 a 30 minutos. Para verificar se está pronto, espete um palito ou garfo, que deve sair limpo e seco.

Deixe os brownies esfriarem antes de cortar e depois leve por 1 hora no congelador/freezer.

Espero que gostem de levar um pouquinho da Starbucks pra dentro de casa. 

 

Receita: Sugardishme Imagens: Adashofsanity

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários

A Mother Monster está de volta! Ouça “Perfect Illusion” nova música de Lady Gaga.

Desde que foi anunciada, muito se falava no cenário pop sobre a música de retorno de Lady Gaga. Desde 2013 sem lançar algo solo (nesse meio tempo ela fez parte da série American Horror Story, que lhe rendeu um Golden Globe, e fez um álbum de jazz junto com Tony Bennett chamado Cheek to Cheek, que lhe rendeu seu sexto Grammy), o hiatus fez com que a volta da cantora para algo mais característico seu fosse muito esperado.

Conhecida por sempre se inovar, Gaga volta com Perfect Illusion, que brinca mais com o Rock do que com o Pop que estamos acostumados.

A música de vocais poderosos, produzida o Mark Ronson, conhecido pelo sucesso Uptown Funk com Bruno Mars e Kevin Parker do Tame Impala, está dividindo fãs, enquanto alguns queriam algo mais farofa, outros amaram a reinvenção.

Ainda não há previsão de quando o clipe para a música ou o álbum, apelidado de LG4, serão lançados.

E vocês? O que acharam dessa volta da Mother Monster?

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários

Resenha | O Erro (Off-Campus/Amores Improváveis #2) – Elle Kennedy

the-mistake-elle-kennedy-resenha
O Erro (The Mistake) é o segundo livro da série Off-Campus, da autora Elle Kennedy, você pode conferir a resenha do 1. O Acordo – AQUI.

PODE CONTER SPOILERS CASO NÃO TENHA LIDO O LIVRO 1.

Se você leu O Acordo, duvido que não tenha se encantado pelo Logan, e sua fala estranha, mas por trás do playboy festeiro, jogador de Hóquei, tem um cara cheio de problemas familiares reais.

Se jogando nas festas de universidade, nos jogos de Hóquei e nas marias tacos, Logan faz de tudo para se distrair de seus reais problemas. Logo no começo você percebe algo que ficou subentendido no primeiro livro, Logan é apaixonado pela Hannah (namorada do seu melhor amigo Garrett), ele se sente tão incomodado com isso, começa a se afastar dos amigos. Isso me incomodou um pouquinho no começo da leitura, mas depois quando ele acorda para a vida, tudo faz mais sentido.

Elle Kennedy The Mistake

Grace é doce, tímida, mas não é a uma “mocinha” tapada como se vê por aí, ela sabe o que ela quer e o que ela merece. Virgem, ela tem uma chance com Logan que no fim a rejeita na hora H, no mesmo dia ela é traída por sua melhor amiga e colega de quarto e após passar um tempo de férias com a mãe na França, ela volta e faz Logan provar que a merece.

—Eu não estou mesmo convencida de que você realmente gosta de mim, Logan. Essa coisa toda parece que está centrada no seu ego. A única razão que você sequer me viu novamente depois da primeira noite foi porque você não poderia lidar com eu não ter tido um orgasmo. E na festa, quando você descobriu que eu estava em um encontro com outra pessoa, era como tivesse encontrado sua maneira de marcar seu território ou alguma merda assim. Suas ações gritam para mim, e isso não são sentimentos genuínos é só seu ego.

—Isso não é verdade. E quanto à noite, na sala de jantar? Como isso beneficiaria o meu ego? —Sua voz é rouca. —Eu gosto de você, Grace.

—Por quê?— Eu desafio. —Porque você gosta de mim?

—Porque…— Ele arrasta a mão pelo cabelo escuro. —Você é divertida, legal de se manter por perto. Você é inteligente. Doce. Você me faz rir. Ah, e só olhar para você me deixa duro.

Eu engulo uma risada. —O que mais?

O constrangimento colore suas bochechas. —Não tenho certeza. Nós não nos conhecemos muito bem, mas tudo o que eu sei sobre você, eu gosto. E tudo o que eu não sei, eu quero descobrir.

Ele soa tão sincero, mas uma parte de mim ainda não confia nele.

The Mistake Elle Kenedy

No meio de tudo isso Logan vive um problema familiar que ele nunca contou nem mesmo para os amigos, o pai é alcoólatra. E ele fez um trato com o irmão mais velho, que vai lhe impedir de continuar a carreira no hóquei. Sofrendo pressões de todos os lados, Grace é quem começa como uma distração e acaba virando o apoio.

Sequencias de livros já tem aquele estigma de que nunca são melhores que os primeiros, e nesse caso foi, pelo menos para mim. Mais uma vez a Elle Kenndy traz o romance cheio de cenas sexys e bem escritas, junto com a crise dos vinte poucos anos, acompanhado de problemas familiares graves, aqui no caso o alcoolismo. Ela sabe usar pequenas coisas que comentamos no dia a dia que deixam a trama mais legal, Brangelina, Hozier, Facebook e etc. Todo esse drama com uma linguagem leve e divertida, em um livro que me fez rir em diversas partes, sem perder a seriedade dos pontos certos e isso é maravilhoso.

Elle Kennedy The Mistake

Como falei na resenha de O Acordo, “Não leia pensando que é um livro arrebatador, com um enredo maravilhoso, que vai mudar sua vida, mas vale para quando você chega em casa cansada e quer algo leve, e rápido.” E muito divertido.

Em breve vou resenhar o melhor da série até o momento The Score, o 3º livro da série que conta a história do Dean. Abaixo um dos melhores momentos do Dean em O Erro.

— Só por curiosidade, o que constitui uma boa foto de pau?

— Quero dizer, é a iluminação? A pose?

Eu estou sendo sarcástico, mas Dean responde com uma voz solene.

— Bem, o truque é, você tem que manter as bolas de fora.

Isso recebe um assobio alto de Tucker, que se sufoca ao saborear sua cerveja.

—Sério, Dean insiste. Bolas não são fotogênicas. As mulheres não querem vê-las.

Se curtiu não se esqueça de deixar um comentário e boa leitura.

Resenha escrita originalmente em: 13 de Agosto de 2015 pela leitura do livro em inglês. 

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários

Crossfire | O que sabemos sobre a Série de TV

crossfire-serie-de-tv-inspiration-box

Post criado em 11/05/2015 – Atualizado em 18/08/2016

Aguardada pelos fãs do mundo todo, na quarta feira 18 de agosto de 2016, a autora Sylvia Day anunciou em seu site oficial que a adaptação da série de livros Crossfire foi cancelada.

Segundo a nota da autora, os direitos que haviam sido adquiridos em 2013 pela Lionsgate TV, expiraram pela 3 vez, e devido a demora ela resolveu não renovar o contrato fazendo com que os direitos voltassem a pertencer a ela, que diz ainda que pretende procurar outra parceria para colocar a série nas telas.

Nota Oficial Traduzida: “A Lionsgate adquiriu os direitos sobre a saga Crossfire em 2013 e renovou o contrato duas vezes. Após três anos de desenvolvimento, Sylvia se recusou a renovar novamente e ela atualmente retém os direitos de adaptação. Ela finalmente, espera encontrar o parceiro certo, mas por enquanto, a série Crossfire não está mais em desenvolvimento.”

Abaixo você pode conferir como vinha sendo o andamento do desenvolvimento da série.

Desde agosto de 2013 após o anúncio de que a Lionsgate TV havia comprado os direitos para a produzir uma série de TV para Crossfire, os fãs estão alvoroçados esperando notícias, que vem em passos muito lentos. 

Abaixo reuni as poucas coisas que já sabemos sobre a série, e este post vai sendo atualizado conforme forem surgindo novidades. 

Lionsgate TV 

lionsgate-crossfire-toda-sua-serie-de-tv-inspiration-box

A Lionsgate é um grupo cinematográfico que vem crescendo cada vez mais nos últimos anos, nos cinemas seus filmes mais conhecidos são os da Saga Crepúsculo e da Saga Jogos Vorazes, ambos sucessos de venda dos livros e de bilheteria. 

Na TV, a Lionsgate costuma produzir séries transmitidas pela Showtime e Netflix, dentre outras. Algumas das mais famosas e bem produzidas são, Mad Men, Orange is The New Black, Nurse Jackie e Nashville, sendo apenas OITNB baseado em um livro. 

Dúvidas Comuns: Data de estreia, atores, canal e etc…

Em diversas entrevistas Sylvia Day afirma que a série tem previsão para estrear na Mid-Season, que é o período de estreia de séries que acontece entre janeiro e maio. Mas a maioria estreia mesmo é entre abril e maio, o que provavelmente acontecerá com Crossfire se essa previsão permanecer. 

Post Relacionado: Resenha Ardente | Em Chamas – Sylvia Day 


11012937_785117678273889_6534443461804664665_nSylvia já falou também que ela não tem poder de opinião sobre os atores escolhidos para viver os personagens, e que eles serão atores desconhecidos (ator desconhecido é aquele que já fez várias pontas em outras séries e filmes, mas nunca um papel de destaque), mas que ela é a produtora executiva, portanto revisa o roteiro, e prometeu garantir que as cenas e falas que os fãs mais amam estarão com certeza na série. 

A 1° temporada, englobara todo o livro 1, Toda Sua, e também segundo a autora será tão explicito quanto a série Game Of Thones como exemplo. 

O importante em uma série é quem produz, não o canal propriamente dito, o canal compra essa série já pronta (caso de Crossfire) ou encomenda um piloto. Dependendo do canal que comprar os direitos de exibição, pode ser que a série não seja exibida no Brasil, e aí nos resta assistir on line, com as boas almas que legendam. 

Produtores

Jeremy-Bolt-Sylvia-Day-Crossfire-TV-Inspiration-Box-Toda-SuaJá tem alguns meses que foi divulgado que a série tem roteirista, produtor e diretor, mas nenhum nome havia sido divulgado. Até que a Sylvia Day postou uma foto em seu instagram escrito que estava se encontrando com os produtores (Showrunners) da série.

Mas o que é o produtor? Segundo o Dicionário Série Maníacos – É o todo poderoso de uma série, ou para ser mais especifico, o produtor que tem a decisão final em todas as questões da série. Geralmente essa pessoa é também roteirista da série.

Os produtores da foto são as duas pessoas que levaram o projeto até a Lionsgate TV, e abaixo vamos falar um pouquinho mais deles do que eles já fizeram para os cinemas.

Jeremy Bolt – é mais conhecido por ser produtor da Franquia Resident Evil, mas tem em seu currículo uma lista extensa de produções, ele está à frente do projeto Crossfire para a TV e também do filme de Cretino Irresistível das autoras Christina Lauren.  Para ver sua filmografia completa é só entrar no IMDb ou Wilkipedia

Stephanie Johnson – apesar de não se achar muitas informações sobre ela na internet, segundo o IMDb, a produtora já trabalhou em filmes como Bastardos Inglórios, Kill Bill 1 e 2, Django Livre e Velozes e Furiosos – Desafio em Tóquio. Para sver sua filmografia completa é só entrar no IMDb

Sylvia se encontrando com parte da equipe de produção, com Stephanie Johnson (Produtora Executiva da Série de TV de Crossfire), John Valentine (Vice Presidente de Estratégias e Operações para TV da Lionsgate TV) e Chris Selak (Vice Presidente da Lionsgate TV). (19/09/2015)
Sylvia se encontrando com parte da equipe de produção (19/09/2015)

John Valentine – outro que não há muitas informações, apenas que ele é o Vice Presidente de Estratégias e Operações para TV da Lionsgate TV. .

Por enquanto é apenas isso que se tem notícia ou o que vocês vão encontrar se procurarem em sites gringos de qualquer outro idioma. Esperamos ter mais novidades em breve e assim que isso ocorrer este post será atualizado. 

Quem quiser saber mais informações sobre os livros e série de TV, de uma forma mais dinâmica, fizemos também um vídeo sobre o assunto.

Depois de pouco mais de 7 meses sem notícias, em duas entrevistas que a Sylvia Day deu para o lanamento do 5º livro, ela FINALMENTE, falou novamente sobre a série de TV. Vou deixar os links para os vídeos originais, mas… resumindo o que ela fala em ambos, é que.; A série está em desenvolvimento, ela sabe que está demorando já que os direitos foram comprados em 2013, mas vai sair. Ela também revelou que a primeira temporada pode ter de 12 a 13 episódios de uma hora cada. 

Links dos vídeos: Vídeo 1 e vídeo 2

Qualquer novidade será sempre atualizada aqui neste post.

Larissa MonteiroSérie Crossfire Brasil 

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários