Food do Dia | Batatas Hasselback

batata-hasselback-inspirationbox

A receita de hoje tem uma história por trás. Vi uma imagem da batata pela internet e naquele instante ela me chamou atenção, só de olhar para ela me dava água na boca, então tive que procurar pela internet afora o nome da receita e aínda uma que me satisfazia. Um pouco daqui e um pouco dali, consegui criar minha própria receita das batatas hasselback, e vai por mim, valeu a pena o esforço.

Curiosidade: Este prato sueco tem esse nome porque foi criado em um restaurante chamado hasselbacken, que fica em Estocolmo.

Ela é super fácil de fazer, a única parte mais díficil que poderá encontrar é para cortar ela sem despedaçar, mas é só ir aos poucos que não tem erro. Espero que gostem da receita, as batatas são temperadas e ficam macias e crocantes por fora. Bon appetit!.

Ingredientes

– 6 unidades de batatas monalisa (escolha as mais uniformes)

– 3 colheres (sopa) de manteiga

– Queijo parmesão ralado grosso a gosto (faixa azul)

– Queijo muçarela a gosto

– Provolone defumado a gosto

– Alecrim a gosto

– Sal grosso a gosto

Modo de Preparo

  1. Em uma panela com água, coloque as batatas. Leve ao fogo e, quando levantar fervura, marque 8 minutos.
  2. Pré-aqueça o forno a 180oC.
  3. Faça cortes transversais nas batatas sem chegar até ao meio (ou um pouco mais), coloque-as em uma assadeira (inicialmente com o lado dos cortes para baixo) e leve ao forno por cerca de 15/20 minutos.
  4. Vire o lado das batatas, coloque o queijo entre os cortes e pincele generosamente a manteiga junto com o alecrim e sal grosso a gosto. Volte a assadeira para o forno.
  5. Quando as batatas estiverem macias e gratinadas, retire-as do forno.

Obs: Colocar as batatas em um recipiente pequeno, para ficar prensada uma a outra para não abrir. Sirva com molho de iogurte.

[1]

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários

About Ems Monteiro

Na casa dos 20 anos, sou amante dessa cidade cinza que não dorme e nos surpreende em cada esquina, estação, museu... Fazendo faculdade de Arquitetura e Urbanismo e tentando sempre colocar minhas séries em dia, uma tarefa quase impossível.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CommentLuv badge