LIVROS | 7 Livros Recomendados por Jennifer Lawrence

A atriz Jennifer Lawrence já atuou em uma série de adaptações de livros para filmes, incluindo Jogos Vorazes, O Lado Bom da Vida, Serena, A Última Casa da Rua, X-Man. Jennifer é uma leitora ávida, e compartilhou seu entusiasmo pela palavra escrita em uma série de entrevistas e o amor de Lawrence pela leitura nos faz amá-la ainda mais! Confira alguns de seus livros favoritos.

downloadO que J.Law disse: “Gregory é uma das minhas autoras favoritas”…”Eu sempre amei história, e ela a escreve de forma… imoral”.

A Irmã de Ana Bolena (Os Tudors #2) por Philippa Gregory

Aos 14 anos, a inocente Maria Bolena, su irmã mais nova, Ana, e o irmão George chegam à corte. À época, as grandes famílias aristocratas habitavam os arredores do palácio real e ter uma mulher de sua prole nas proximidades do leito do soberano era garantia de ascensão social. A doçura e beleza de Maria chamam a atenção do rei Henrique VIII. Como nova amante de Henrique VIII sua aventura amorosa é incentivada pelos irmãos. A conspiração da família, no entanto, sofre uma reviravolta e Maria precisa declinar de seu sonho e amor em nome de sua melhor amiga e rival – Ana. A irmã se aproveita da ausência de Maria durante um curto período e conquista a atenção do rei, substituindo Maria no papel de primeira-amante. Mas Ana quer mais do que isso, seu desejo de tornar-se rainha não tem limites e, ao mesmo tempo em que cresce o desejo de Henrique VIII por um filho legítimo, Ana planeja o que fazer para se livrar da esposa dele. Vai ser tornar rainha doa a quem doer. Toda a família Bolena envolvida em uma intriga ainda maior – a dissolução do casamento do soberano com Catarina de Aragão. Um dos períodos mais agitados da corte dos Tudor narrados com extrema eficiência histórica. Considerados o melhor romance do ano em que foi lançado.

download (1)O que J.Law disse: Harry Potter. Eu fiquei tão louca por Harry Potter que eu li duas vezes. Todos eles duas vezes. Eu não tenho um favorito, eu acho que todos foram incríveis. “

Harry Potter por J. K. Rowling

Conheça Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas.

O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais.

download (2)O que J.Law disse: “Eu fiquei tão atraída pela visão de Salinger da sociedade daquela época, e seu sarcasmo. Eu li O Apanhador no Campo de Centeio primeiro, e então este. Eu não acho que exista nenhum personagem como estes na literatura norte-americana.”

Carpinteiros, levantem bem alto a cumeeira e Seymour: uma apresentação – por JD Salinger

A primeira das duas histórias do livro gira em torno do casamento não-realizado de Seymour, que às vésperas da cerimônia pede para adiar a celebração, já que se sente animado demais para casar. A história se passa num dia muito quente de 1942, e se concentra praticamente em dois espaços: um carro, no qual Buddy fica preso com a madrinha da noiva e seu marido, uma tia da noiva e um senhor surdo-mudo, e no apartamento que Seymour e Buddy dividiam em Nova York antes de serem convocados para a Guerra.

download (3)O que J.Law disse: “É definitivamente dramático… Eu não leria se tivesse filhos ou se estivesse grávida.”

Precisamos Falar Sobre o Kevin por Lionel Shriver

Aos 15 anos, o personagem Kevin mata 11 pessoas, entre colegas no colégio e familiares. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos.

Transposto o primeiro estágio da perplexidade, um ano e oito meses depois, ela dá início a uma correspondência com o marido, único interlocutor capaz de entender a tragédia, apesar de ausente. Cada carta é uma ode e uma desconstrução do amor. Não sobra uma só emoção inaudita no relato da mulher de ascendência armênia, até então uma bem-sucedida autora de guias de viagem.

Cada interstício do histórico familiar é flagrado: o casal se apaixona; ele quer filhos, ela não. Kevin é um menino entediado e cruel empenhado em aterrorizar babás e vizinhos. Eva tenta cumprir mecanicamente os ritos maternos, até que nasce uma filha realmente querida. A essa altura, as relações familiares já estão viciadas. Contudo, é à mãe que resta a tarefa de visitar o “sociopata inatingível” que ela gerou, numa casa de correção para menores. Orgulhoso da fama de bandido notório, ele não a recebe bem de início, mas ela insiste nos encontros quinzenais. Por meio de Eva, Lionel Shriver quebra o silêncio que costuma se impor após esse tipo de drama e expõe o indizível sobre as frágeis nuances das relações entre pais e filhos num romance irretocável.

O que J.Law disse: download (4)“Eu realmente não esperava gostar. Eu pensei que eu não gostaria de ler um livro de 800 páginas, mas depois eu comecei a ler mais devagar e ler os mesmos capítulos de novo e de novo. Você acaba se apaixonando  pelos personagens; você cresce com eles. “

Anna Karenina por Liev Tolstói

Ana Karenina parece ter tudo – beleza, dinheiro, popularidade e um filho adorado. Mas sente um vazio na sua vida até ao momento em que conhece o arrebatador conde Wronsky. A relação que em breve se inicia entre ambos escandaliza a sociedade e a família, e traz no seu encalce ciúme e amargura.
Em contraste com esta história de amor e autodestruição, encontramos Constantino Levine, um homem em busca da felicidade e de um sentido para a sua vida.

O que J.Law disse:download (5) “Você pode dizer em uma frase, se o que você está lendo é escrito por Thompson… Você lê um livro do Thompson por causa de sua voz. Ele está sempre sendo destruído em San Juan e relatórios sobre brigas de galo. Ele é simplesmente hilário. “

Rum – Diário de Um Jornalista Bêbado – Hunter S. Thompson

Quando Hunter Thompson iniciou a escrita de Rum: Diário de um jornalista bêbado, estava com 22 anos e tinha se mudado há pouco para San Juan, em Porto Rico, para trabalhar como jornalista. Quando Paul Kemp, o protagonista do livro, desembarca na mesma cidade para trabalhar no Daily News, é com a intenção de deixar para trás a correria de Nova York. Em comum entre os dois há também o gosto pelo jornalismo, pelo rum e pelas mulheres.
Mais conhecido como gonzo, Thompson surpreendeu os leitores quando Rum foi publicado em 1998, depois de ficar quase quarenta anos engavetado. Ao mostrar um grupo de jornalistas rodeados por um ambiente caótico e de instabilidade social, o escritor evoca o legado de Hemingway, a quem muito admirava. Estrelado por Johnny Depp no cinema, este segundo romance de Hunter Thompson, escrito nos anos 60, prenuncia as obras de ruptura escritas na maturidade do autor.

O que J.Law disse:download (6) “Eu fiquei tão comovida por este livro.”

O Castelo de Vidro – Jeannete Walls

A bela jornalista ruiva, uma profissional de sucesso na capital dos negócios, Nova Iorque, contempla a cidade pelos vidros do táxi. Em breve chegará a seu luxuoso apartamento, repleto de antiguidades, mapas antigos, livros raros e tapetes persas. Subitamente, seu olhar é atraído por uma visão, infelizmente não tão incomum nas metrópoles: uma senhora idosa e desgrenhada vasculha uma lixeira em busca de algo para comer. Em pânico, a jornalista, que aterrorizava as celebridades com sua ácida coluna de fofocas, esconde-se no interior do veículo. Havia reconhecido a mulher em estado de indigência. Tratava-se de sua mãe. Um conto fantástico, ou a imaginação delirante de um autor, em busca do efeito fácil sobre os leitores, diriam alguns. No entanto, a história é absolutamente verídica, e um desses casos em que a realidade parece emprestar as tintas da ficção.

Em O castelo de vidro, Jeanette Walls escreve as memórias de sua família boêmia, errante, atípica e inconformista. Talvez herdeiros do espírito libertário dos beats, ou da rebeldia dos anos sessenta, os pais de Walls enveredariam por um verdadeiro périplo por dezenas de cidades americanas, chegando mesmo a viver nas ruas, como sem-teto. Avessos aos trabalhos regulares, o pai vivendo de expedientes, a mãe, uma pintora amadora e amante das artes, muitas vezes as memórias de Walls revelam momentos em que a fome e o desespero parecem intoleráveis. No entanto, com seu estilo vigoroso e direto, ela nunca apela para as explicações de cunho psicanalítico ou social, e escapa do sentimentalismo banal.

Cumpre acertar as contas com seu passado, a compreensão de um choque de ideais e de gerações. O livro de Walls, para além do relato de uma infância de miséria, aponta, portanto, para questões da maior relevância. Trata-se da solidão e da incomunicabilidade entre as pessoas, e da perseguição de sonhos e projetos pessoais. A história da família de Walls, portanto, em seu caráter absolutamente único, fala um pouco de todas as famílias, de todos os sonhos, de toda a existência. Fala um pouco sobre todos nós.

Alista acima é de uma compilação de entrevistas da atriz, você pode ver as citações e entrevistas originais clicando nos links de O que J.Law disse.

Você já leu algum desses livros? Ou assistiu, já que vários deles foram adaptados para o cinema ou TV?! Compartilha com a gente nos comentários. 

Onde comprar os livros: AmazonSaraivaLivraria CulturaFnacSubmarinoAmericanasLivraria da Travessa

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail to someoneGoogle+share on Tumblr

Comentários

Comentários

About Larissa Reeden

Larissa Monteiro (Reeden) - 23 anos Adoro ler, sou bem eclética com meus gostos literários, também gosto de séries de TV, principalmente as que abordam temas diferentes e filmes românticos (sue me). Mineira de nascimento, Paulistana de coração. Tenho gostos variados para tudo, gosto de viajar, escrever, curtir um parques em dia de sol, e de ir ao cinema, de ficar em casa, de ir pra um barzinho, ao café, tudo depende do clima e com quem. Não resisto a nada que envolva massa, molho e queijo e amo doces. Sou uma mistura de muitas personalidades.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CommentLuv badge